quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Que se lixe o BANIF


O pequenino BPN, e nem vou falar no BPP,  foi nacionalizado à boleia de um “toda a gente sabe” que era necessário salvar a confiança no sistema financeiro. Hoje toda a gente sabe que a brincadeira já ultrapassa os 5 mil milhões. A confiança no sector financeiro continuou a ser salva pouco depois, com o BES, que – agradeçamo-lo também aos Marcelos e Marcelinhos que andaram a semear esta e outras fatalidades – “toda a gente sabia” que era demasiado grande para falir. A segunda conta há-de chegar, cheia de zeros, e toda a gente sabe quem irá pagá-la.

É agora a vez do BANIF, já ouvimos várias personalidades a “garantir” a sua normalidade, apenas falta o atestado de solidez de Cavaco Silva para que aqueles que acreditaram que os anjinhos da Pátria, que diziam que não havia dinheiro para nos encherem de cortes e de impostos, estavam a salvar o banco e o sistema financeiro português quando lhe injectaram 1100 milhões  – afinal havia dinheiro – se juntem a toda a gente que há tanto tempo sabe que aquilo faliu.

E agora, três bancos, muitos milhões  e nenhum condenado depois, a incógnita é o que é que o poder político irá fazer desta vez. O regulador não regula porcaria nenhuma. O sector financeiro está feito em cacos, não há solidez nem há confiança para abalar, nenhuma delas existe, e mesmo que existisse não seria um banco anão que lhe faria mossa. Como tal, nem mais um cêntimo para o sector financeiro. Se nos dizem que não há dinheiro para suprimir de imediato os cortes de salários e de pensões, se nos dizem que não há dinheiro para acabar integralmente com a sobretaxa de IRS, se nos dizem que não há dinheiro para garantir protecção no desemprego para todos, não se atrevam a dizer-nos que volta a haver dinheiro para pagar ainda mais delinquência banqueira. Se o BANIF faliu, quem o enterrou que o pague.

1 comentário:

fb disse...

E agora, três bancos, muitos milhões e nenhum condenado depois, a incógnita é o que é que o poder político irá fazer desta vez. O regulador não regula porcaria nenhuma. O sector financeiro está feito em cacos, não há solidez nem há confiança para abalar, nenhuma delas existe, e mesmo que existisse não seria um banco anão que lhe faria mossa. Como tal, nem mais um cêntimo para o sector financeiro. Se nos dizem que não há dinheiro para suprimir de imediato os cortes de salários e de pensões, se nos dizem que não há dinheiro para acabar integralmente com a sobretaxa de IRS, se nos dizem que não há dinheiro para garantir protecção no desemprego para todos, não se atrevam a dizer-nos que volta a haver dinheiro para pagar ainda mais delinquência banqueira. Se o BANIF faliu, quem o enterrou que o pague.